Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Pedra do Porto

História e Património do Concelho da Nazaré

Pedra do Porto

História e Património do Concelho da Nazaré

Uma notícia sobre contrabando na Vila da Pederneira (1837)

Carlos Fidalgo, 25.04.22

Secretaria de Estado dos Negocios Ecclesiásticos e de Justiça

Repartição da Justiça

 

Manda a Rainha, pela Secretaria d’Estado dos Negócios Ecclesiásticos e de Justiça, remeter por cópia ao Ajudante do Procurador Geral da Corôa, o Officio dirigido a este Ministério pelo da Fazenda, incluindo outro do Director das Alfandegas do Sul do Reino contendo as participações dadas pelo Chefe do posto a pé da Pederneira, tanto ao mesmo Director como ao Administrador do Concelho ácerca do escandaloso facto de contrabando e resistencia, que mencionam aquelles Officios como acontecido na praia daquela Villa, e a que se diz ter dado por occasião João Luiz Agostinho; a fim de que pelos factos que vêem circunstanciados nos documentos que lhe são remetidos, faça proceder nos termos das Leis pelo Agentes do Ministério Publico com a maior urgência, escrúpulo, e rigor da Justiça; dando conta por este Ministério, em tempo competente, do resultado dos procedimentos judiciaes, e muito especialmente de qualquer frouxidão, ou connivencia que notar nos empregados encarregados nesta parte da execução das Leis. Paço das Necessidades, em 21 de Agosto de 1837. = José Alexandre dos Campos.

 

Fonte: Diário do Governo, 1837, p. 961

João Matheos, do Bispado de Leiria

Cemitério do Hospital da Misericórdia da Pederneira

Carlos Fidalgo, 29.01.22

218 - A Misericórdia da Pederneira in O Occidente, 34 ano, vol. XXXIV, pp. 261-262, n.º 1185 de 30 de Novembro de 1911. (1).jpg

Imagem: A Misericórdia da Pederneira in O Occidente, 34 ano, vol. XXXIV, pp. 261-262, n.º 1185 de 30 de Novembro de 1911

*

Um assento curioso, entre os muitos que temos divulgado neste blog e os que haveremos de divulgar.

Desta feita e ainda antes do Hospital "rumar" ao Sítio da Nazaré, uma referência a um tal de João Matheos que faleceu no hospital da Misericórdia e ali terá falecido.

Disse, antes de falecer, que era do Bispado de Leiria e que teria de idade cerca de sessenta anos, "pouco mais ou menos".

Segundo a descrição do vigário Domingos Mendes de Britto e Magalhães o defunto era "baixo de corpo e cara redonda".

Foi sepultado no Cemitério do Hospital.

Tudo isto aconteceu no dia dezoito de Outubro de 1721.*

*ADLRA- Livro de  Óbitos da Freguesia da Pederneira, ano de 1721, f.36.